Acesse o novo WebMail Fetrafi-RS
WebMail Fetrafi-RS
   Início        A Fetrafi-RS         Diretoria         Estrutura         Sindicatos         Sistemas Fetrafi-RS    
Porto Alegre, 19\06\2018
Últimas Notícias
Em novo estatuto, banco impõe teto de gastos para o Saúde Caixa
Compartilhe esta notícia no Twetter
Envie esta notícia por E-Mail
Geral | 03/01/2018 | 16:01:07
Em novo estatuto, banco impõe teto de gastos para o Saúde Caixa
Sem negociação, direção limitou gastos a 6,5% das folhas de pagamentos e proventos; Sindicato alerta para importância da mobilização, cobra reversão da medida e negociação transparente
 
 
A direção da Caixa tem divulgado, inclusive no site oficial do banco, o novo estatuto da instituição. Um dos pontos prejudiciais aos trabalhadores é apresentado no quarto parágrafo do capítulo VIII: "a participação da CEF no custeio dos benefícios de assistência à saúde será limitada ao percentual de 6,5% (seis e meio por cento) das folhas de pagamento e proventos”.

A direção da Caixa tem divulgado, inclusive no site oficial do banco, o novo estatuto da instituição. Um dos pontos prejudiciais aos trabalhadores é apresentado no quarto parágrafo do capítulo VIII: "a participação da CEF no custeio dos benefícios de assistência à saúde será limitada ao percentual de 6,5% (seis e meio por cento) das folhas de pagamento e proventos”.

O diretor do Sindicato e coordenador da CEE/Caixa, Dionísio Reis, comenta a inexistência de negociação, alerta para a importância da mobilização e afirma que o Sindicato cobra reversão da medida e negociação transparente. "Além de impor um teto de 6,5% em relação à folha de pagamento, da ativa e dos aposentados, o modelo de custeio imposto no novo estatuto leva em consideração no cálculo do teto os gastos fiscais e administrativos, que no modelo atual são de responsabilidade exclusiva da Caixa”, explica Dionísio.

Impacto - O diretor explica que pela redação do estatuto, ao estourar o teto de 6,5%, o novo modelo de custeio vai impactar em maiores custos ao trabalhador a partir de 2020. "Lembro que o atual modelo de custeio, sem teto, no qual a Caixa é responsável por 70% de todo o custo em assistência à saúde, está previsto no Acordo Aditivo dos empregados. Impor o teto de maneira unilateral é desrespeitar o processo negocial e o compromisso assumido pela própria direção da Caixa”, acrescenta.

O dirigente destaca também que enquanto debatia em mesa de negociação a possibilidade de promover a alteração do modelo de custeio do Saúde Caixa,a direção do banco não deu garantia de emprego e negou outros pontos essenciais aos trabalhadores como, por exemplo, a incorporação de função. Por isso, os representantes dos empregados não tiveram dúvidas em dizer não à intransigência do banco.

Dionísio enfatiza ainda que a defesa do Saúde Caixa é um dentre muitos pontos que exigem forte mobilização dos empregados em 2018. "O Sindicato vai estudar todas as medidas cabíveis para barrar este ataque ao Saúde Caixa. Porém, a medida mais efetiva é unir todos os empregados e empregadas da Caixa, junto ao Sindicato, nas mobilizações em defesa dos nossos direitos, empregos, da Caixa 100% pública e da sua função social. Só a luta te garante”, conclama.

Modelo atual– Pelas regras atuais do Saúde Caixa, o banco arca com 70% do seu custeio, e os empregados, 30%. A porcentagem relativa aos trabalhadores é mantida por meio de 2% do valor do salário, mais 20% de coparticipação nos procedimentos médicos, limitado a R$ 2.400. O atual modelo de custeio não discrimina idade, faixa salarial ou se o empregado é aposentado ou da ativa. Todos pagam o mesmo valor.

Liminar– Em 26 de janeiro deste ano, a direção da Caixa divulgou comunicado informando aumentos no Saúde Caixa, que entrariam em vigor a partir de 1º de fevereiro. O valor passaria de 2% para 3,46% da remuneração base. Já em relação à coparticipação das despesas assistenciais, o percentual passaria de 20% para 30%, e o valor limite anual subiria de R$ 2.400 para R$ 4.209,05.

O aumento foi suspenso por liminar judicial, expedida no âmbito de uma ação impetrada pela Contraf-CUT, Fenae e sindicatos. Nova audiência está marcada para o dia 23 de janeiro. Até lá o reajuste segue suspenso.

Fonte: SPBancários

 
 
Conteúdo    
 
 
 
Geral | 06/03/2018
Dia Internacional da Mulher será marcado por atividades no Rio Grande do Sul
Programação prevê atividades em Porto Alegre, Pelotas, Caxias do Sul, Santa Rosa e Osório.
Geral | 18/01/2018
BB: Problema na verba da incorporação de função será corrigido
Por falha no processamento, verba 480 não apareceu na folha de pagamento; problema foi detectado e será corrigido até dia 20
 
 
  Serviços
Acordos e Convenções
Enquetes
Conquistas
Acesso Restrito Interno à Fetrafi-RS
Informativos da Fetrafi/RS
Minutas de Reivindicações
Notas Jurídicas
Ações Trabalhistas Fetrafi/RS
Moções aprovadas em eventos
 
 
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Instituições Financeiras RS
Rua Cel. Fernando Machado nº 820
CEP 90010-320 - Bairro Centro Histórico - Porto Alegre, RS
Fone: (51) 3224-2000 | Fax (51) 3224-6706

Copyright © 2010 Fetrafi. Todos os direitos reservados.
 
Desenvolvimento IDEIAMAIS - Agregando Valor