Acesse o novo WebMail Fetrafi-RS
WebMail Fetrafi-RS
   Início        A Fetrafi-RS         Diretoria         Estrutura         Sindicatos         Sistemas Fetrafi-RS    
Porto Alegre, 19\11\2017
Últimas Notícias
Parcelamento de salários do Governo Sartori
Compartilhe esta notícia no Twetter
Envie esta notícia por E-Mail
Artigo | 08/09/2017 | 11:09:30
Parcelamento de salários do Governo Sartori
Segundo a Juíza do TRT da 4ª Região, é necessário agirmos para promover mudanças
 

Em seu livro A Peste, Camus retrata uma comunidade que é acometida por uma misteriosa epidemia. Primeiro morrem os ratos. Depois, as pessoas começam a morrer, sem explicação. Em meio ao caos que ali se estabelece, enquanto alguns poucos lutam para descobrir as causas da doença e auxiliar os sobreviventes, muitas famílias seguem trabalhando, indo ao mercado e mesmo ao teatro. Desviam a pilha de cadáveres, não questionam porque a família ao lado não está mais lá. Apenas seguem suas vidas. O livro foi escrito em 1957, quando o mundo defrontava-se com os acontecimentos da segunda guerra mundial. Talvez seu principal recado seja a necessidade de compreendermos nosso tempo histórico, o que acontece ao nosso redor. E agirmos para promover mudanças.

Hoje, no Estado do Rio Grande do Sul, o salário dos servidores públicos não está sendo honrado. A grande mídia, porém, pula os cadáveres e segue em frente, dando notícias da Expointer e exaltando os esforços do governo em pedir o perdão da dívida ao Planalto. Agimos como se não houvesse o caos. Como se fosse natural retirar do trabalhador sua fonte de sustento, sujeitando-lhe a pedir empréstimos, generosamente oferecidos pelo banco do Estado, ou a humilhar-se junto aos credores.

No livro de Camus, a convocação: “Se hoje a peste vos olha, é porque chegou o momento de refletir”. Ao naturalizarmos o descumprimento da obrigação mais grave de quem toma trabalho (o pagamento do salário), permitimos que o discurso do mal menor se instale. A partir de agora, tudo é permitido, porque sequer a contraprestação pelo trabalho que o Estado segue tomando, de nossos professores e policiais, está sendo honrada. Como falar em reposição salarial? Como lutar para não perder garantias duramente conquistadas? Como argumentar contra a terceirização?

É urgente recuperarmos nossa capacidade de indignação e reconhecermos o calote. O Estado fez uma escolha. Dentre tantos gastos, optou por cortar salários. Não é razoável, não é necessário. É a maneira menos perigosa e mais fácil de cooptar o sentimento de todos, reforçando o discurso de que nada mais há a fazer. Como nos ensina Camus, a peste, muitas vezes, tem feição humana. Combatê-la implica evitar a postura de vítima e reconhecer a de carrasco. Implica, acima de tudo, não se acostumar ao mal, denunciá-lo e enfrentá-lo.

*Dra. Valdete Souto Severo
Juíza do Trabalho do TRT da 4ª Região (RS)

 
 
Conteúdo    
 
 
 
Artigo | 27/10/2017
Momento é de união em defesa da Caixa 100% pública
Por Jair Pedro Ferreira
Artigo | 27/10/2017
Qual é o futuro da Caixa?
Por Maria Rita Serrano
 
 
  Serviços
Acordos e Convenções
Enquetes
Conquistas
Acesso Restrito Interno à Fetrafi-RS
Informativos da Fetrafi/RS
Minutas de Reivindicações
Notas Jurídicas
Ações Trabalhistas Fetrafi/RS
Moções aprovadas em eventos
 
 
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Instituições Financeiras RS
Rua Cel. Fernando Machado nº 820
CEP 90010-320 - Bairro Centro Histórico - Porto Alegre, RS
Fone: (51) 3224-2000 | Fax (51) 3224-6706

Copyright © 2010 Fetrafi. Todos os direitos reservados.
 
Desenvolvimento IDEIAMAIS - Agregando Valor