Acesse o novo WebMail Fetrafi-RS
WebMail Fetrafi-RS
   Início        A Fetrafi-RS         Diretoria         Estrutura         Sindicatos         Sistemas Fetrafi-RS    
Porto Alegre, 16\10\2018
Últimas Notícias
Ato do FSST debate adoecimento e gestões que pioram a saúde
Compartilhe esta notícia no Twetter
Envie esta notícia por E-Mail
Saúde do Trabalhador | 03/05/2016 | 10:05:28
Ato do FSST debate adoecimento e gestões que pioram a saúde
Movimento sindical intesifica ações em defesa dos trabalhadores
 
 

O Fórum Sindical de Saúde do Trabalhador do RS realizou, na quinta-feira, 28/4, o ato em memória às vítimas de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho. O 28 de abril, lembrado internacionalmente, foi definido pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), em memória dos 78 mineiros vítimas de uma explosão numa mina no estado norte-americano da Virgínia, em 1969.


A atividade aconteceu no Auditório da Casa dos Bancários, em Porto Alegre, e contou com palestrantes que levaram assuntos sobre o Sistema Único de Saúde, a atuação do Ministério do Trabalho e Emprego no ambiente de trabalho, saúde mental e adoecimento, bem como, o debate sobre a não reforma da Previdência Social.

Para o coordenador do FSST, Alfredo Gonçalves, o movimento sindical tem que estar cada vez mais unido para enfrentar os embates que a classe trabalhadora terá que enfrentar, por isso a relevância da realização do seminário para a discussão e formação de propostas para o tema.

Na mesa de abertura, o presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo, destacou a importância da realização do evento e ressaltou que é motivo de orgulho ter um setor do movimento sindical que dá muita importância para este tema. "O FSST faz a reflexão e tenta abrir os caminhos do que tem que ser consertado nessa área, porque o mundo do trabalho é uma violência permanente e não tem fim”, comentou.

O 28 de abril é marcado por diversas manifestações, ações e debates realizados em todo país pelo movimento sindical a fim de colocar em pauta as problemáticas da saúde do trabalhador e, também, da conjuntura atual do Brasil.

Segundo Guiomar Vidor, presidente da CTB-RS, a situação atual dos trabalhadores precisa ser assumida pelas entidades sindicais, isso porque os acidentes de trabalho, praticamente, matam mais que doenças em todo o mundo.

A abertura do ato contou, também, com a presença da diretora da Divisão de Vigilância em Saúde do Trabalhador, Loiva Schardosim, que abordou o tema das subnotificações dos acidentes e doenças relacionadas ao trabalho, mas que essas informações são fundamentais para que se conheça a realidade e para o planejamento das ações.

Na parte da manhã, os painéis foram destinados à mesa que tratava da atuação do Ministério do Trabalho e Emprego no ambiente de trabalho com o auditor-fiscal, Luiz Alfredo Scienza, e sobre o SUS: acesso e acolhimento com o vice-presidente do Conselho Estadual de Saúde, Cláudio Augustin.

Para Scienza, há pouco a comemorar e muito a se preocupar. "Meu dia a dia está onde o trabalho está, e tem muita gente se acidentando” destaca. As pessoas se acidentam de modo tradicional, mas tem uma mudança de perfil de adoecimento e morbidade, cada vez mais se tornando visível, destacando a forma como o trabalho está organizado de forma precarizada e terceirizada.

Abordando o tema do SUS, o presidente do Conselho Estadual de Saúde, Claudio Augustin, lembrou as questões relevantes e que muitas vezes são esquecidas no dia a dia das entidades sindicais. Uma das questões fundamentais desse processo foi entender como está a saúde do trabalhador em cada atividade laboral. "Nós temos sete conferências e quase todas elas seguiram essa linha, como estava a saúde do trabalho do seu ramo produtivo. Todo mundo está adoecendo no seu local de trabalho e todos se enxergavam uns nos outros. Os ramos começaram a dialogar entre si” explicou.

Mesa de saúde mental

No painel "Quando o trabalho produz o adoecimento”, estavam a psicóloga da Secretaria Estadual da Saúde, Claudia Magnus, a psicóloga Inaiara Kersting e a assessora de saúde do trabalho do SindBancários, Jacéia Netz.

Os temas centrais foram o assédio moral, adoecimento mental e demais doenças que acometem o trabalhador. Segundo Jacéia, uma pesquisa realizada pelo SindBancários, das amostras estudadas, 48% dos trabalhadores usam medicação para ansiedade, 27% usam para dormir, moduladores de humor, uma série de medicações, 34% mais de uma medicação, 66% com concomitante uso de antidepressivo e ansiolítico e 40% atribui ao trabalho o uso de medicação.

As psicólogas Cláudia e Inaiara abordaram a relação de assédio moral, os adoecimentos e sofrimentos mentais causados no ambiente de trabalho. A explanação das características de cada problema, bem como os caminhos que o trabalhador deve procurar.

Segundo Claudia, as situações de humilhações, mesmo que não sejam com a frequência que caracteriza o assédio moral, não deixam de ser uma graves. São consideradas algum tipo de violência e podem causar dano psicológico ao trabalhador. Ela destaca a importância de se tratar os adoecimentos de forma plural, que os trabalhadores se ajudem, que de nada adianta um colega estar adoecido e os demais ficarem indiferentes, pois isso é um problema que pode atingir a todos. "Nós devemos apostar nas estratégias coletivas para lidar com tudo isso. Saúde é um conceito coletivo”, enfatiza Cláudia.

A questão da banalização foi destacada pela psicóloga Inaiara, ressaltando o silêncio que muitos trabalhadores acabam fazendo diante dos seus problemas. "Trazer à tona os problemas é assumir que eles existem, quando o trabalhador se acidenta no seu setor é fundamental ele demonstrar para os colegas que aquele local é condenável. O trabalhador precisa assumir que está vulnerável. Calar-se é uma forma de proteção, mas é preciso denunciar”, salienta a psicóloga.

Finalizando o dia com uma palestra enriquecedora e esclarecedora, o professor Denis Maracci, professor e diretor no Instituto de Economia da Universidade de Campinas (Unicamp-SP), abordou o tema da Previdência Social. Ele explicou o porquê de não se fazer a reforma neste órgão.

*FSST-RS

 
 
Conteúdo    
 
 
 
Saúde do Trabalhador | 03/10/2018
Gestão da Caixa adoece empregados, aponta pesquisa da Fenae
Dados mostram que um em cada três bancários teve algum problema de saúde relacionado ao trabalho nos últimos 12 meses.
Saúde do Trabalhador | 21/06/2018
Seminário Nacional em Defesa dos Planos de Saúde
No dia 28 de junho, das 9h às 17h30, acontece em Brasília o Seminário Nacional em Defesa dos Planos de Saúde de Autogestão das Estatais Federais.
 
 
  Serviços
Acordos e Convenções
Enquetes
Conquistas
Acesso Restrito Interno à Fetrafi-RS
Informativos da Fetrafi/RS
Minutas de Reivindicações
Notas Jurídicas
Ações Trabalhistas Fetrafi/RS
Moções aprovadas em eventos
 
 
Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Instituições Financeiras RS
Rua Cel. Fernando Machado nº 820
CEP 90010-320 - Bairro Centro Histórico - Porto Alegre, RS
Fone: (51) 3224-2000 | Fax (51) 3224-6706

Copyright © 2010 Fetrafi. Todos os direitos reservados.
 
Desenvolvimento IDEIAMAIS - Agregando Valor